Associação

 

Postado dia 16/12/2014 às 10:25:32

Histórico

Em 2000 foi fundada a Associação das Indústrias Extrativas de Areia do Noroeste do Paraná (APA), através da união nove empresas de extração de areia e cascalho na bacia do Rio Paraná, região da comarca de Loanda-PR. Essa união foi resultado de uma convocação do Ministério Público para que estas empresas se adequassem a um modelo de exploração sustentável do meio ambiente.
Mineradores da região, que desenvolvem atividades de extração de areia e cascalho naquela região, estavam dentro de um quadro que era quase inviável se regularizar, principalmente ambientalmente. O Instituto Ambiental do Paraná (IAP), órgão responsável pela fiscalização e legislação dos recursos hídricos e do Meio Ambiente do Estado, realizou uma verificação minuciosa de toda a região do noroeste determinando que todos os portos de areia teriam um prazo para a adequação da extração mineral ou teriam suas atividades encerradas.
Todas as empresas sediadas na região, assim como as demais instaladas nas bacias hidrográficas em todo território nacional, operavam nos moldes de extração de areia de morro e estavam localizadas às margens do rio. Esse modelo esbarra na preservação do meio ambiente e desenvolvimento socioeconômico sustentável. Com isso, era necessário modificar aquele modelo.
As empresas teriam que, num curto espaço de tempo, solucionar as questões envolvendo os resíduos das barcaças, do óleo do motor, a retirada dos portos e sua realocação há uma distância de no mínimo 500m das margens do rio, fora da área de Área de Preservação Permanente (APP). Além de resolver o problema do retorno da água decantada para o leito do rio. Questões de imprescindível solução para atender a urgência ambiental do noroeste do estado, mas que demandavam investimentos irrealizáveis para cada empresa isolada.
Motivadas pelo IAP e do Ministério Público, nove empresas desta região, algumas delas atuando há mais de quarente anos, decidiram unir-se através de uma associação, com o intuito de desenvolver a atividade e preservar o meio ambiente.
Enfrentando grandes dificuldades os associados da então futura APA, em reunião com o IAP e os municípios de São Pedro do Paraná, Porto Rico e Marilena, onde as nove empresas estavam fixadas, firmaram um acordo junto ao Ministério Público através da Comarca da cidade de Loanda. Este acordo resultou na construção do Terminal de Carga e Descarga de Areia no distrito de Porto São José, município de São Pedro do Paraná, e no reflorestamento da área degradada, criando assim a Associação.
A APA nasceu oficialmente no dia 01 de julho de 2000 para dar um amparo legal a essas indústrias. Surgindo com o objetivo de atender aos termos do pacto firmado, garantindo a continuidade de suas atividades extrativas, tendo como meta, principalmente, o fortalecimento e a solidez das empresas integrantes. Manteve-se a atividade econômica da exploração da areia, de forma legalizada, num único ponto, minimizando assim os impactos ambientais e sociais na região. Hoje cada empresa, continua operando o setor de vendas individualmente, cabendo a Associação unicamente as funções de extrair e estocar o material retirado do Rio Paraná. Assim sendo, cada empresa que compõem a APA permanece com sua uma licença de exploração, fornecida pelo Ministério de Minas de Energia e os tributos são recolhidos aos municípios sedes originais.
Houve a desocupação das áreas que sediavam os nove Portos de Areia, visando o ajustamento às condições legais e ambientais e também o aproveitamento do potencial turístico da região, onde as empresas eram situadas na área urbana. Dessa foram solucionamos os problemas enfrentados, tanto de ordem técnica e econômica, quanto de vias ambientais, sendo este porto considerado pelos órgãos envolvidos como o primeiro ecologicamente correto no país.

Terminal: 

O Terminal de Carga e Descarga de Areia Prezalino Semprebom é um modelo em termos de extração sustentável no Brasil e foi desenvolvido pela Associação das Indústrias Extrativas de Areia do Noroeste do Paraná (APA).   Ele foi construído em uma região às margens do Rio Paraná, que pertencia a Catuana Agropecuária Ltda, localizada no distrito de Porto São José, no município de São Pedro do Paraná - Pr. A área foi aprovada e liberada pela prefeitura da cidade pelo IAP (Instituto Ambiental do Paraná), pois já apresentava sinais de degradação ambiental – erosão e assoreamento – sendo então passível sua utilização, e a recuperação feita através da Associação seria um ganho para o meio ambiente.

A construção do Terminal reflete a união e o fortalecimento das empresas associadas, assim como a preocupação e engajamento no novo paradigma mundial – ecológico. Hoje ele explora o rio dentro dos paradigmas de preservação ambiental, evitando que a biodiversidade terrestre e aquática seja prejudicada.

Essas atitudes são amparadas em pensamentos de integração e trocas recíprocas nas constantes atividades do grupo. Por meio desse projeto, que busca a aliança com as forças da região, a APA pretende ampliar a sua contribuição na conservação ecológica do noroeste do Paraná, assim como no seu desenvolvimento.